Tempos Modernos


Quando eu era criança muitas visões e especulações eram faladas sobre o futuro. Eu tinha uns 10 anos no início dos anos 90 e havia muitas e muitas coisas que eu ouvia que haveriam de vir. Fim do mundo no ano 2000, despoluição do Rio Tietê, aumento do buraco da camada de ozônio, ida do homem à Marte, 3ª Guerra Mundial, e todas as visões futurista do Século XXI. Carros voadores, robôs, computadores, celulares, TV a cabo, mundo digital, mundo virtual, etc, etc e tal.

Então meu pai comprou um PC 386 para nós. Na época era um dos computadores mais modernos para se ter em casa. Ele entrava ainda no DOS e depois é que acessávamos o Windows 3.1 para escrever textos, fazer desenhos, etc. Nem sabia nada sobre e-mails e nada de internet. E meu pai dizia que aquilo seria o futuro. Para você conseguir um bom emprego, você deveria aprender a falar inglês e saber mexer com computadores, conhecer sobre informática. Eu nem imaginava o que aquilo significava.

O tempo foi passando, e depois de uns 3 ou 4 anos chegou a internet na minha cidade. Ainda era a discada, muito lenta, mas a grande coisa é que facilmente você poderia entrar em contato com milhares de pessoas por sites de bate papo em um instante. Naquela época meu pai falou mais uma coisa sobre computadores e internet: "Tudo, tudo iria funcionar com a informática. Até compras você vai conseguir fazer sem sair de casa, e o que você precisa vai chegar direto para você."

Outra coisa que eu me lembro de quando eu era criança, é quando meu pai ganhou um celular da empresa. Era um daqueles famosos "tijolões". Para mim era o máximo da época, um telefone sem fio que funcionava em qualquer lugar! E ainda havia gente que dizia que aquilo nem era nada. "Logo, logo, você vai poder ver a pessoa com quem você está falando por telefone." E eu nem imaginava como aquilo aconteceria.

E também me lembro de mais algumas coisas que eu ouvia quando eu era criança. "As pessoas nem precisarão sair de casa para fazer compras, vai ser muito difícil encontrar com outras pessoas na rua e você quase não vai se relacionar com ninguém. Talvez você nem fale mais com pessoas e as ruas vão ser vazias." E também ouvia: "A internet vai unir pessoas, você até vai conseguir falar com pessoas do outro lado do mundo e ver as pessoas." E havia muitas e muitas coisas que eu ouvia e imaginava o que haveria de vir.

E passaram-se uns 20 anos. O mundo não acabou no ano 2000, o rio Tietê não foi despoluido, não existem carros voadores andando pelas cidades, o homem não foi para a Marte, e muita coisa não aconteceu. Mas muita, muita coisa aconteceu do que eu ouvia quando era criança. Celulares de todos os tipos, computadores estão por todos os lados, canais de televisão para todos os gostos, tv digital, lojas pela internet de tudo que se pode pensar e milhares e milhares de coisas que eu nem podia imaginar, existem hoje em dia. Google, Facebook, smartphone, Ipods, palm touch, touch screen, etc, etc, etc.

É...e foram apenas 20 anos! Nem é tanto tempo assim, não é? E aquilo que eu ouvia, quando eu era criança, sobre fazer compras diretamente de casa, nem conseguir se relacionar com as pessoas, e as ruas vazias? E sobre a internet unir pessoas?

As ruas não estão vazias, continuam cheias, mais cheias ainda. Quantas pessoas você tem notícias pelo Facebook ou pelas redes sociais? Quem é que não tem um celular ou uma conta de e-mail para você entrar em contato? Tanta modernidade e facilidades que nos ajudam a comunicar, não é? Mas será que realmente conseguimos nos relacionar com as pessoas? Quantas pessoas vemos com seus fones ouvindo música, ou seus smartphones olhando para as telinhas, parecendo estar longe do seu lugar real? Quem nunca se encontrou em uma situação de não ter um amigo para ligar para conversar sobre as coisas profundas da vida? Mesmo com toda essa modernidade, redes sociais, celulares, quem é que nunca se sentiu sozinho nesse mundo, não se sentiu só? Será que toda essa modernidade nos ajuda a ser mais unidos?

Na verdade eu nunca fui fã de toda essa modernidade. Em 2002 eu conheci um lugar onde eu posso me dedicar a me relacionar com as pessoas de uma maneira real. Um lugar onde podemos ter amigos e falar das coisas profundas da vida independentemente de ter ou não um celular, ou um computador. Um lugar onde estamos ficando cada vez mais próximos. Esse lugar é a comunidade. ISSO SIMPLESMENTE QUER DIZER QUE PRECISAMOS UNS DOS OUTROS. Nós também utilizamos coisas da modernidade, mas a realidade da nossa vida é que precisamos uns dos outros. Não somos uma comunidade alternativa e não estamos aqui porque queríamos viver em grupo. Aqui é o lugar onde podemos obedecer os mandamentos do filho de Deus, Yahshua. Somos discípulos de Yahshua, com 3 chamados: sermos servos uns dos outros, viver em comunidade e celebrar a vida. Nós não celebramos para amenizar a dor e a absurdidade e futilidade da vida, mas nós celebramos para relembrar a verdadeira realidade da nossa vida, o Reino dos céus. Toda sexta-feira temos uma celebração e queremos convidar você para nos conhecer e conhecer o que nos une.

Zadok (33 anos) 06 de Setembro 2014.