A Prisão do Devedor


A ameaçadora presença da solidão pairou sobre você, por já ter ido além do limite da sua consciência, a um ponto sem possibilidade de retorno.

Muitos você maltratou por sempre se achar o centro de tudo, por perseguir o prazer a todo custo. Cada ato egoísta, cada traço de covardia que o impediu de ser firme o bastante para se manter naquilo que sabia que era correto. Toda palavra cortante e impensada que danificou a confiança dos outros em você e consequentemente a sua neles. O resultado disso foi a solidão. Você se encontra agora como dentro da prisão de um devedor.

Houve um tempo na história onde os que deviam, eram lançados em prisões para forçá-los a quitar suas dívidas. Não havia escape a não ser pagando a dívida. Por outro lado como pagar estando preso? As pessoas podiam apodrecer numa cela a não ser que alguém pagasse o resgate por elas.

O mesmo acontece em relação ao pecado e à solidão. Não há escape a não ser que sejam quitados, sendo o valor total além de sua capacidade de pagar. O valor total é a morte. Na verdade você vive sua vida na emboscada que te levará às portas da morte. Não tem outra forma de pagar por todo o seu egocentrismo.

Nada mais pode te libertar do egoísmo que o faz continuamente praticar coisas que empurram os outros para o canto de sua vida. Concluindo, você chegou à percepção que não tem caminho de fuga para fora da solitária prisão de um devedor.

A não ser que alguém, em algum lugar, tenha a chave...